• Julio Cesar Segantini

Adiado início do bloqueio de celulares “piratas”


Marcado para 28 de novembro o início do bloqueio de aparelhos celulares irregulares.

Após solicitação das operadoras de telefonia móvel, a Anatel decidiu suspender para 28 de novembro de 2017 o bloqueio definitivo de aparelhos “piratas”. As notificações aos usuários destes aparelhos, começarão a ser enviadas a partir de 15 de setembro e o bloqueio efetivo ocorrerá 75 dias após, em 28 de novembro deste ano. O interesse inicial da Anatel era de chegar em novembro com a maioria dos aparelhos piratas fora de circulação.

Segundo a agência, o número de celulares que poderiam ser bloqueados ainda não é conhecido. Mas as operadoras temem o impacto, pois calculam que 1 milhão de celulares “irregulares” são incluídos nas redes a cada mês. Estimam que no Brasil existem perto de 40 milhões de aparelhos nesta situação.

A proposta em estudo prevê que somente serão desligados os aparelhos que forem ativados após o início de envio de mensagens pelas operadoras para os assinantes informando que os celulares são irregulares. O desligamento não prejudicará os usuários que de boa fé adquiriram tais aparelhos.

Como será feito

Todo aparelho celular tem um "número de identidade" único chamado IMEI. A cada vez que um celular é ativado (ou seja, quando você insere o chip de uma operadora e ele faz a primeira conexão à rede) o IMEI é associado ao número do chip, e essa informação é enviada a um banco de dados de sua operadora.

Para identificar o celular pirata, a ideia é comparar o seu IMEI com o de um sistema montado pelas operadoras, com acesso a um banco de dados da Anatel contendo todos os aparelhos homologados e produzidos no Brasil (ou homologados por entidades internacionais, como a FCC nos EUA). Se o IMEI não constar no banco de dados, trata-se de um aparelho não-homologado, ou pirata. A intenção é eventualmente impedir o funcionamento destes aparelhos, bloqueando sua ativação na rede.

Se você tem um aparelho produzido por um grande fabricante (como Samsung, LG, Motorola, Nokia, Apple, CCE, Positivo) e comprado no Brasil, não tem com o que se preocupar, já que todos estes aparelhos têm que receber a homologação da Anatel antes de chegar às lojas. O mesmo vale para aparelhos importados produzidos por grandes fabricantes (Apple, HTC, Google etc), que foram certificados no exterior. Ou seja, seu iPhone importado, mesmo que seja um modelo diferente do homologado e vendido no Brasil, irá funcionar.

O problema é com o celular pirata (os populares "Xing Ling"). Esses aparelhos certamente não passaram por nenhum tipo de certificação, e podem causar de interferências na rede ao risco de eletrocussão do usuário por falhas de projeto. E o pior: a vasta maioria deles não tem um IMEI válido. Na prática eles sequer deveriam estar funcionando pelas normas atuais, e provavelmente irão cair na malha fina do sistema.

Como descobrir o IMEI do aparelho é válido?

O primeiro passo é descobrir o número do IMEI. Para isso, discando para *#06# o aparelho irá retornar o IMEI. Anote o número de 15 dígitos que será mostrado. O consumidor deve comparar se o número IMEI que aparece na tela do celular é o mesmo que consta na caixa do equipamento e também na nota fiscal. Caso os números sejam diferentes é provável que o aparelho não seja regular.

Celular roubado

Hoje, as operadoras já possuem uma base de dados de celulares impedidos de funcionar, em razão de roubos e furtos. Abaixo, disponibilizamos os endereços onde você pode consultar se o aparelho está impedido de funcionar pelo bloqueio de IMEI e evitar futuros problemas.

Clique aqui para consultar bloqueio nacional

Clique aqui para consultar bloqueio internacional

#Telefoniamóvel

0 visualização